O suicídio não é a solução!

Um homem triste.

AVISO: Esta postagem trata de um relato de abuso sexual.

Eu sei o que é querer morrer, eu conheço a sensação de desespero, de solidão. Eu sei o que é o desejo de desaparecer no nada.

A morte é para sempre. Enquanto você vive, você tem o poder de mudar as coisas, mesmo que pareça impossível. Uma vez que você se foi, sua escolha acabou.

A minha experiência

Meu encontro com a morte começou quando eu tinha treze anos. Desde quando eu tinha quatro ou cinco anos até os doze, dois homens diferentes me molestavam.

Quando o abuso parou, eu o bloqueei. O que não consegui bloquear foi a miséria, a raiva e o ódio. Eu não tinha ideia do que estava realmente errado, mas estava extremamente chateada. Pesadelos constantes com homens tentando me matar e com incêndios me consumiam.

Eu já estava morta por dentro, então qual era o sentido de realmente viver? Esses homens levaram minha alma. Eu não era mais criança, era apenas um corpo tentando sobreviver. Não senti nada além de dor e tristeza. Eu odiava minha vida, me odiava e todos os outros. Eu queria morrer. Todo dia. Dia todo.

O meu destino

Um dia, com vinte e poucos anos, eu não aguentava mais.

Eu cheguei a uma encruzilhada, cheguei ao meu ponto de ruptura.

Disse a mim mesma: “Carrie, você se mata hoje ou precisa fazer o que for preciso para melhorar, porque não é assim que se vive”. Foi nesse momento que decidi retomar o controle da minha vida.

Viver ou morrer? Qual você vai escolher? Espero que você escolha ouvir o que estou dizendo e que escolha viver. Eu conheço sua dor, já senti a sua dor. Eu vivi a sua dor. Se eu consigo viver com isso, você também pode.

Você não está sozinho, não importa o quanto se sinta sozinho.

O que leva alguém a querer tirar a vida?

Passei a acreditar que existem três razões comuns pelas quais as pessoas querem se matar. Você pode se identificar com um ou com todos eles. Pessoalmente, tenho pensado em suicídio em todos os três.

Dor intensa causada por abuso/trauma (estupro, guerra, agressão)

Esse tipo de dor é aguda, mas também pode ser crônica. Pode ser um tipo de dor debilitante que o mantém preso em um mundo de hiper-vigilância constante, tentando sobreviver. Se você já foi vítima de abuso na infância, violência doméstica, estupro ou foi submetido à devastação da guerra, então você sabe como é essa ideação suicida.

Eu me identifiquei com essa dor desde minha adolescência até meus vinte e poucos anos. Se os únicos sentimentos que você tem são: dor, raiva e mágoa e todos eles estão voltados para dentro, você fará qualquer coisa para encontrar alívio, e o pensamento de suicídio se tornará seu companheiro constante.

Reações emocionais a situações específicas (divórcio, morte, separações)

Quando você passa pela morte de um ente querido, ou quando seu cônjuge o trai e o deixa por outra pessoa, você pode se sentir inútil, vazio e traído. Sentir-se indigno pode levá-lo a pensar em fazer algo que normalmente não faria.

Eu experimentei isso há alguns anos, quando descobri que meu namorado não era realmente quem dizia ser. Ele não tinha apenas uma namorada, ele tinha a esposa e um filho.

Eu me senti uma idiota porque pensei que ele realmente se importava. Achei que devia haver algo de errado comigo para que ele fosse capaz de me manipular tão facilmente. Achei que não adiantaria continuar.

Sentimentos constantes de desesperança (depressão, apatia)

Esse tipo de dor é bastante assustador porque é uma dor inteligente e bem pensada. Não é precipitado e não é uma reação a algo que aconteceu. Essa dor é insidiosa. Ela se infiltra em seu subconsciente e faz você lentamente pensar que a vida não tem sentido.

Sim, já senti esse tipo de dor. Dos meus vinte e tantos anos até recentemente, havia muitos dias em que eu acordava e dizia a mim mesmo: “Talvez hoje seja o dia.” Eu faria planos para quando e como faria isso.

Cheguei a um ponto em que não me importava mais, mas não estava realmente com dor. Estava apática com o mundo ao meu redor e, mais importante, com meu próprio coração.

Não queria mais viver, não estava sentindo alegria. Eu não me importava com nada. Eu não tinha paixão. Talvez você entenda do que estou falando.

Então, o que você faz em vez disso? 

Para aqueles que lutam contra a ideia de morrer e para aqueles que não veem outra saída, aqui estão algumas coisas para você pensar:

Vai passar!

Lembre-se deste ditado, porque realmente é uma verdade universal. A única coisa constante na vida é a mudança.

Lembra quando você terminou com seu primeiro amor e você pensou que nunca mais amaria de novo? Você amou sim!

A maneira como você está se sentindo agora não vai durar. Lembre-se de que os sentimentos horríveis não durarão para sempre.

Seus pensamentos sobre você não são verdadeiros!

Você se sente incompreendido?

Nunca sonhei em me casar, ter filhos e morar em uma casa com cerca de madeira branca. Portanto, embora a maioria das pessoas que conheço esteja tendo netos, ainda estou morando sozinha e tentando entender minha vida. Outra razão que acho que ninguém me entende: não queremos as mesmas coisas ou temos os mesmos objetivos.

Mas, e se eu pegasse todos aqueles pensamentos negativos e modestos sobre mim (não me encaixo, estou meio que sozinha e ninguém gosta de mim) e os transformasse em pensamentos positivos? E se todos esses pensamentos não fossem realmente verdadeiros?

Quando comecei a trabalhar para me amar e me aceitar, percebi que não sou para todos e tudo bem!

E daí se ninguém te ama?

O que importa se você não tem muitos amigos?

“Hoje você é você! Não há ninguém vivo que seja mais você do que você. ” – Dr. Seus.

Existe apenas um você. Mesmo que não acredite agora, você é especial e único.

Existem pessoas que ficarão arrasadas com sua perda!

Eu costumava dizer a mim mesma que minha mãe, irmã e amigos realmente não se importariam se eu fosse embora. Achei que eles superariam isso em algumas semanas.

Mas, novamente, isso não pode estar mais longe da verdade. Se você se matar, a dor que está sentindo irá embora porque você irá embora, mas agora seus amigos e familiares sentirão sua dor pelo resto de suas vidas. Eles se perguntarão todos os dias o que fizeram de errado. Como eles poderiam ter ajudado. Por que eles falharam.

É esse o legado que você quer deixar?

Você se preocupa com sua família e amigos?

Você quer que eles passem o resto de seus anos se perguntando o por quê?

Se você cometer suicídio, deixará uma marca indelével de dor e tristeza naqueles que deixou para trás. Se você não acredita em mim, leia algumas histórias de mães, pais e irmãs que tiveram um ente querido que se matou.

Caso você tenha perdido alguém para o suicídio, temos um artigo de dicas que podem te ajudar nesse momento difícil. Clique aqui para ler.

O que fazer?

O seu tempo nesta terra acabou?

Você acredita que não tem nada a oferecer?

O que as pessoas vão dizer depois que você morrer?

Mesmo que você não veja seu valor, os outros o vêem. Cada um de nós é único e possui talentos especiais.

Em vez de pensar em se matar, tente pensar sobre quais são seus talentos e suas paixões. Talvez você não saiba e tudo bem. O próprio ato de tentar descobrir trará alguma esperança para o futuro.

Uma das poucas coisas que me salvou quando eu era suicida foi escrever em meu diário. Percebi que precisava escrever de novo e, assim que o fiz, tudo mudou. Eu tinha um propósito. Eu tinha encontrado minha paixão.

O seu está aí, você só precisa encontrá-lo.

Sua vida não será vazia para sempre.

Talvez sua vida pareça vazia hoje. Mas, isso não significa que será assim para sempre. Passei anos sentindo-me vazia, solitária e insatisfeita.

Se você se sente vazio e solitário, como se sua vida não tivesse sentido, eu digo a você:

“O que você pode fazer para mudar isso?”

Tente e concentre sua energia no que você pode mudar, não no que você não pode mudar.

Eu sei que parece clichê, mas todo dia é um novo dia para reescrever a história de sua vida.

Você não está sozinho!!!

Lembre-se de que, embora esteja com dor, você não é o único.

Não deixe seus pensamentos comandarem sua vida. Os pensamentos são apenas pensamentos. Eles não são verdadeiros. Lembre-se disso.

Sentir-se sozinho é uma crença em sua cabeça e não é necessariamente verdade.

Encontre outras pessoas que tenham lutado com seus problemas e pergunte-lhes o que fizeram e como encontraram alguma paz.

Você precisa de alguém que possa te ouvir desabafar. E no Eyhe existem pessoas que já superaram vários desafios e hoje estão prontos para te ouvir e ajudar da forma que puderem. É só clicar aqui e desabafar com alguém que vai te entender.

Não há palavras.

Talvez não haja palavras suficientes ou não sejam as palavras certas.

Essa é uma chance que eu tenho de tentar te mostrar que você não está sozinho. A depressão e a solidão são condições que podem ser resolvidas.

O suicídio não é a resposta. A morte é definitiva.

Eu acredito que você pode sobreviver e que você vai sobreviver. Acredito que, como eu, você também pode ser uma voz de mudança e esperança.

Nunca desista. Cada dia é um novo dia para lutar!

TRADUÇÃO LIVRE. Postado em Tiny Buddha. 

Tá precisando de um ombro amigo? Saiba que no Eyhe existem pessoas que querem te ouvir e te ajudar. É só clicar aqui para desabafar com alguém que já viveu o que você está vivendo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Continue Conectado

Podcast Autoconsciente

(Parceiro Eyhe) Episódio 65