Desapegue de atitudes e viva melhor!

Mulher feliz por ter desapegado de coisas que não faziam sentido em sua vida.

É impossível viver saudavelmente quando a gente se preocupa com milhares de coisas. Mas, desapegue de atitudes e viva melhor! Leia como:

“Eu não conserto problemas. Eu arrumo meu pensamento. Então, os problemas se consertam! – Louise Hay

Olhando para trás, percebi que a perfeição era minha pior inimiga. Fui criada em um ambiente de grande expectativa e todos os dias na escola parecia que estava competindo com os outros e lutando para ser o melhor da classe.

Aos dez anos, eu acreditava que era estúpida só porque meu cérebro não conseguia trabalhar em física e matemática. Eu era boa em literatura, artes e línguas estrangeiras, mas isso não era um sinal de brilhantismo na cultura da Europa Oriental que me moldou.

Muito mais tarde, como uma mulher adulta, não me considerava boa o suficiente, bonita o suficiente, inteligente o suficiente ou bem-sucedida o suficiente. Eu me sentia indigna de ser amada por um homem maravilhoso, indigno de receber um bom salário para refletir minhas habilidades e talentos, indigno demais para me candidatar a uma posição tentadora no trabalho.

Minha vida parece completamente diferente hoje e abraço a minha nova versão com muita gratidão e alegria. 

Eu me amo como sou. Casada e faço o que nasci para fazer no mundo.

Então, agora você vai saber como essa mudança aconteceu e desapegue de atitudes e viva melhor:

  1. Introdução
  2. Abandonei a necessidade de ser perfeita.
  3. Eu deixei de lado a necessidade de estar ocupado o tempo todo.
  4. Parei de dar atenção para a autocrítica.
  5. Não julguei mais.
  6. Deixei de culpar.
  7. Deixei de fazer suposições sobre o que as outras pessoas sentem, querem ou pensam.
  8. Eu deixei de competir com os outros.
  9. Deixei de perseguir a felicidade.
  10. Parei de me preocupar com o futuro.
  11. Larguei a ideia de agradar os outros.

Desapegue de atitudes e viva melhor: Lembranças que transformam

Lembro de me sentir sobrecarregada depois de uma longa reunião no trabalho e procurando alguma inspiração para me ajudar a aliviar o estresse e me sentir melhor. Enquanto procurava o filme The Secret no YouTube, abri “acidentalmente” outro vídeo que entrou direto no meu coração: Você pode curar sua vida de Louise Hay.

Hoje sei que não foi por acaso. O professor aparece quando o aluno está pronto – é verdade! Fiquei tão emocionada e absorvida pelo filme que não conseguia parar de assistir. Ouvir Louise era pura magia; cada palavra foi direto para o meu coração. Finalmente me senti em casa, em um espaço onde era perfeitamente aceitável ser eu: “Eu me amo e me aprovo como sou. Eu sou inteira, completa e a vida me ama.

No ano seguinte, descobri o trabalho de outras almas iluminadas – Wayne Dyer, Byron Katie e Don Miguel Ruiz – me convidando para preciosos momentos de auto-reflexão e aprendizado profundo. O ensino deles me ajudou a abandonar velhos padrões de pensamento e crenças limitantes culturais que não me serviram bem.

Após muita tentativa e erro, aplicando sua sabedoria à minha vida, encontrei um novo senso de liberdade. Veja como fazer e desapegue de atitudes e viva melhor:

1. Abandonei a necessidade de ser perfeita.

Sou perfeitamente bonita e perfeitamente imperfeita e é isso que me permite ser eu.

A perfeição é uma ilusão – não existe. Parei de me estressar tentando ser perfeita e agora estou sempre buscando o “bom o suficiente”. Aprendi a abraçar meus erros tanto quanto as oportunidades de crescimento necessárias, bênçãos disfarçadas que me tornam mais sábia. Se falhar em algo, isso não significa que sou um fracasso, porque não sou o que faço. Às vezes ganhamos, às vezes aprendemos. Nós nunca perdemos.

Desapegue de atitudes e viva melhor!

2. Eu deixei de lado a necessidade de estar ocupado o tempo todo.

Estar com pressa não é um sinal de virtude. Aprendi a ouvir meu corpo e não me sinto mais culpada por não fazer nada. Sei que às vezes preciso recarregar as baterias do meu corpo e da minha alma. 

Se não tenho tempo para mim, eu faço. Assistindo a um bom filme, ouvindo música relaxante, lendo um bom livro, cantando, passeando para me conectar com a natureza – faço o que faz meu coração cantar.

Continue lendo para que você aprenda e desapegue de atitudes e viva melhor!

3. Parei de dar atenção para a autocrítica.

Presto atenção à minha conversa interior; Não me chamo de nome e me trato com dignidade e respeito. Parei de me dizer coisas que nunca contaria a um bom amigo. Sou suficiente e completo.

Eu entendi que na vida não conseguimos o que queremos. Recebemos o que achamos que merecemos. É por isso que é necessário acreditar em nós mesmos e nos considerar suficientes e dignos das melhores coisas que a vida tem para oferecer.

É só continuar lendo para que você desapegue de atitudes e vida melhor!

“Você se critica há anos e não funcionou. Tente se aprovar e veja o que acontece. – Louise Hay

4. Eu deixei de culpar.

Agora sei que toda vez que culpo alguém, estou me tornando uma vítima. Culpar os outros por tomar meu tempo, meu dinheiro ou meu amor é injusto, porque sempre escolho o quanto dou e a quem. Ninguém pode me machucar ou me aborrecer sem o meu consentimento consciente (e muitas vezes inconsciente).

Em vez disso, agora assumo a responsabilidade pela maneira como sinto, ajo e penso. Sou responsável por minhas ações e sei que meu futuro é o resultado de minhas escolhas atuais. Eu sou o que eu acredito e o que eu escolher.

“Toda culpa é perda de tempo. Não importa quanta falha você encontre no outro, isso não mudará você. Você pode fazer com que a outra pessoa se sinta culpada por algo, mas não irá conseguir mudar o que está deixando você infeliz. ” – Wayne Dyer

5. Não julguei mais. 

Eu sei que todos estão em sua própria jornada e meu trabalho é focar em mim. Sei também que cada vez que julgo as pessoas, reajo a algo que me incomoda. Se acredito que você é mau, significa que também posso ser mau; como eu poderia ver isso em você, caso contrário?

“Culpar ou julgar alguém deixa você impotente para mudar sua experiência. Assumir a responsabilidade por suas crenças e julgamentos dá a você o poder de alterá-las. ” – Byron Katie

6. Eu deixei de fazer suposições sobre o que as outras pessoas sentem, querem ou pensam.

Eu não sou eles, então não há como saber o que eles estão sentindo e pensando.

Parei de inventar cenários imaginários e deixar minha mente brincar comigo. Cada vez que me vejo perturbada com o que as pessoas fazem ou dizem, sei que é hora de uma verificação da realidade.

Em “O trabalho” de Byron Katie, aprendi a examinar os pensamentos que me incomodam e a me perguntar: “Isso é verdade?” Muitas das minhas suposições provavelmente não são. Por exemplo, suponho que alguém não goste de mim, quando realmente está tendo um dia ruim. Ou talvez ela seja apenas tímida. Nem todo mundo é igual.

No momento em que percebo que não sei o que essa pessoa pensa, simplesmente porque eu não sou ela, minha mente fica clara e posso encontrá-la com o coração aberto.

“Descobri que minhas suposições inquestionáveis ​​eram a causa de toda guerra e toda paz no meu mundo.” – Byron Katie

7. Eu deixei de competir com os outros.

Agora eu sei que minha necessidade de lutar não passa de um grito do meu ego por auto-validação. Não preciso que ninguém perca nenhum jogo para que eu possa me sentir bem comigo mesmo. Amo harmonia e colaboração!

Eu parei de me comparar com os outros. Escolhi me conectar com as pessoas de um lugar de amor em vez de medo e acredito em abundância. Eu escolho acreditar que vivemos em um universo solidário, onde há o suficiente de tudo e para todos, inclusive eu.

“O amor é cooperação e não competição.” – Dr. Wayne Dyer

8. Deixei de perseguir a felicidade.

Não projeto mais minha felicidade em um futuro imaginário, esperando que algum dia, quando tiver aquele emprego, aquela casa, aquele carro, esse sucesso, eu seja feliz. Aprendi a encontrar a felicidade nos pequenos prazeres da vida e abraço a única realidade que é, o momento presente, com gratidão e muita alegria.

Parei de esperar pelos fins de semana para sentir vontade de viver, porque cada dia é um presente e cada momento é precioso e igualmente importante.

No dia em que mudei meu foco de estressada para abençoada, tudo mudou. Sou grato por tudo o que sou e por tudo o que tenho!

“Percebi que o universo adora a gratidão. Quanto mais você agradece, mais guloseimas você ganha.” – Louise Hay

9. Parei de me preocupar com o futuro.

Aceito que há coisas na vida que não posso controlar, por mais que eu tente. Cada vez que me vejo preocupada, fico dizendo a mim mesma: “O tempo dirá”.

Talvez eu nem sempre consiga o que quero, mas sei que sempre consigo o que preciso. Confio no fluxo da vida e escolho acreditar que vivemos em um universo inteligente, onde tudo se desenrola perfeitamente. Às vezes na vida, até o tempo precisa de tempo.

“A vida é simples. Tudo acontece exatamente no momento certo, nem muito cedo e nem muito tarde.” -Byron Katie

10. Larguei a ideia de agradar os outros.

Já não busco validação externa para me sentir querida ou aceita. Preocupar-se com o que os outros pensam é uma perda de tempo. A opinião de outras pessoas sobre mim é sobre elas e o que elas veem em mim, filtradas através de suas lentes; tem zero a ver comigo.

Parei de esperar que os outros me dessem o que não estava me dando: amor, carinho e atenção. Amar a mim mesmo como um todo – corpo, mente e alma – não é egoísta. Eu mantenho minha xícara cheia de amor próprio e cuido bem das minhas necessidades e dos desejos do meu coração.

Aprendi a fazer escolhas poderosas para o meu bem maior, sem me preocupar com pessoas decepcionantes. As pessoas se decepcionam estabelecendo expectativas sobre quem elas querem que eu seja ou o que elas querem que eu faça.

Dizer não às coisas que não queremos fazer é uma prática aprendida e um sinal de autocuidado. Se isso soa como “deveria”, eu não faço. Eu vou para as coisas que parecem um desejo. Meus desejos vêm de mim mesmo, em vez de me serem impostos pelos outros. Eu sempre escolho como passo meu precioso tempo e com quem. Sei que meu tempo é minha vida e nunca mais voltará.

Minha vida é sobre mim e tenho o direito de fazer minhas próprias escolhas.

A vida é para ser vivida e eu escolho viver autenticamente, sem desculpas e sem arrependimentos.

“Nada que os outros façam é por sua causa. O que os outros dizem e fazem é uma projeção de suas próprias realidades. Quando você é imune às opiniões e ações de outras pessoas, não será vítima de sofrimento desnecessário.” – Don Miguel Ruiz

Para que eu entendesse tudo isso e incluísse em minha vida não foi fácil. Até hoje estou aprendendo e evoluindo. Por isso, tenha calma.

E agora, eu gostaria de ouvir você. Você está segurando alguma dessas coisas? O que está impedindo você de deixar ir?

Agora que você terminou de ler, desapegue de atitudes e viva melhor!

TRADUÇÃO LIVRE. Postado em Tiny Buddha.

Se o desapego não acontecer da forma que você gostaria, saiba que você pode contar com o Eyhe! Lá existem pessoas que já superaram vários desafios e hoje querem ouvir e acolher. É só clicar AQUI!

4 Pings & Trackbacks

  1. Pingback: Saiba como construir uma amizade consigo mesmo! - Blog Eyhe - Suporte Emocional

  2. Pingback: Saiba como mudar seu foco agora! - Blog Eyhe - Suporte Emocional

  3. Pingback: Saiba o que fazer para deixar a vida leve! - Blog Eyhe - Suporte Emocional

  4. Pingback: O que fazer quando estiver triste? - Blog Eyhe - Suporte Emocional

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Continue Conectado

Podcast Autoconsciente

(Parceiro Eyhe) Episódio 65