Mude as suas palavras e mude sua vida!

Uma mulher gritando em um megafone.

As nossas palavras tem muito poder sobre as nossas vidas! Neste texto, percebemos práticas que ajudam: Mude as suas palavras e mude a sua vida!

“Nossas palavras criam o nosso mundo.” – Litvin Rico

Um vez, aos meus sete anos de idade, gritei para a minha mãe: ”Eu queria que você estivesse morta, eu te odeio!” O queixo dela caiu e eu sabia que as minhas palavras tinham machucado ela, o que fez meu coração ficar pesado.

Quando eu tinha quatorze anos de idade, pedi para a minha primeira paixão: “Hey, você gostaria de ir ao cinema comigo neste fim de semana? Para minha surpresa, ela disse que sim, o que me ensinou nunca deixar de pedir o que eu quiser. 

Ainda este ano, estarei ao lado da minha linda (quase) mulher e vou diz as palavras: “eu aceito.” E com essas duas pequenas palavras simples, eu vou transmitir o meu amor e compromisso com ela.

As palavras são poderosas. Por isso, mude as suas palavras e mude a sua vida!

Elas têm o potencial para ferir, destruir e para reforçar, criar.

Há alguns anos, eu abracei esta verdade. O que me tornou ainda mais consciente em relação às palavras que eu uso. Ou seja, as palavras que falo e palavras que eu penso.

Aqui estão quatro maneiras de como eu mudei as minhas palavras e também de como mudou a minha vida.

  1. Mude “Eu vou tentar” para “eu posso e eu vou”
  2. Faça perguntas melhores.
  3. Dizer “Eu consigo” em vez de “Eu tenho que”
  4. Trocar o punidor para líder de torcida.

1. Mude “Eu vou tentar” para “eu posso e eu vou.”

Voltamos para o momento em que eu me sentia preso na vida, eu estava sempre tentando.

Tentando perder peso, sair da dívida, e me conectar à minha vida de volta.

Para mim, parecia que, em todas as áreas da minha vida, eu estava tentando mudar e  não estava obtendo muito sucesso.

Eu, então, olhei para uma área específica da minha vida e me senti satisfeito: a minha vida social.

Festa todo fim de semana! Era isso que eu precisava para mascarar a minha ansiedade, esquecer as minhas dívidas temporariamente. Tudo isso me proporcionava a autoconfiança que sóbrio eu não alcançava. 

Curiosamente, quando meus amigos me perguntavam se eu estaria em festas no final de semana, eu nunca respondia: “Eu vou tentar não ir.”

Não! Era sempre, “eu estarei lá! Vejo você no clube, a primeira rodada é minha!”

Ao reconhecer este padrão, eu fiz uma nova regra para a minha vida:

A TROCA DE “Eu vou tentar” PARA “eu posso e eu vou”. 

Para nenhuma surpresa, eu comecei a ver melhorias na minha vida. Ao dizer “Eu posso e eu vou”, de alguma forma eu me sentia mais forte e no controle do meu destino.

Minha confiança cresceu também. Eu costumava dizer  “eu vou tentar chegar ao ginásio na quinta-feira”, apenas para cancelar no último minuto (sem nunca ter realmente a intenção de ir).

Pensar em termos de “eu posso e eu vou” gentilmente me forçou a ser mais decisivo. Então, ao dizer “eu vou te ver lá” ou “eu vou deixar até terça-feira.” Se terça-feira chegou e surgiu um outro compromisso com mais prioridade, eu poderia comunicar isso claramente e sem se sentir mal para o cancelamento de última hora. Mudar de “tentar” para “posso/vou” me levou a perguntar: “Com o que eu quero estar comprometido?”

A palavra “experimentar” ainda tem um lugar no meu vocabulário. Eu posso ligar para um restaurante numa sexta à tarde para tentar obter uma reserva para a noite.

Minha regra é simples:

Eu nunca vou tentar fazer algo que está no meu controle total.

É possível que eu ligue no restaurante e eles os lugares estejam totalmente reservados. Veja, o resultado não está em meu controle.

Para qualquer coisa uso o meu exercício do controle: acordar cedo, fazer algumas atividades que não gosto, agora eu uso “eu posso” ou “eu vou.”

Continue lendo para que você consiga participar do mantra: Mude suas palavras e mude a sua vida!

2. Faça perguntas melhores.

Por que me sinto tão preso?

A minha ansiedade, as dívidas, as bebedeiras estavam me tornando cada vez uma pessoa pior. Quando eu finalmente senti que era hora de alguma mudança, tudo isso ficou na minha cabeça por vários dias.

As respostas que recebi foram: 

“Porque você é um perdedor”, “você não tem disciplina”, “a vida é difícil.”

Após vários dias de busca da alma, alimentando-me com minhas próprias respostas ruins, ironicamente, a melhor pergunta veio para mim: Será que estou me perguntando a pergunta errada?

Fechei os olhos e pedi para a minha mente: “Me de uma resposta melhor!”

O que eu posso fazer hoje para avançar um pouco? 

Para os próximos meses, essa era a minha pergunta de escolha. A cada dia, conseguia avançar ainda mais, focado no progresso de perfeição e soluções, em vez do problema.

Como diz Tony Robbins: “Questões de qualidade criam uma vida de qualidade. As pessoas de sucesso fazem perguntas melhores e como resultado, recebem respostas melhores.” 

3. Dizer “Eu consigo” em vez de “Eu tenho que”.

Dois anos atrás, eu estava em uma chamada Skype com um amigo do Canadá. Ele compartilhou comigo a ideia de “eu tenho que” vs “Eu consigo.”

“Sempre que você quiser se sentir grato, mude “eu tenho que” para “eu consigo’”, disse ele.

Como muitas ideias novas que eu ouvi, parecia bom no momento, mas, para ser honesto, logo esqueci.

Alguns dias se passaram e eu estava saindo de casa para ir atender um estudante. Na época, eu era professor de Inglês para falantes não-nativo. Toda segunda-feira à noite eu viajava para outras cidades. 

Naquele dia, estava muito quente e sinceramente, eu não estava a fim de andar sessenta minutos a pé. a A partir disso, um diálogo tomou conta da minha mente: “Urgh, eu tenho que atravessar a cidade para ir ensinar Inglês.”

De repente, a conversa com o meu amigo veio à tona para mim, então eu decidi mudar minha linha de pensamento.

“Eu comecei a andar pela cidade para ir e ensinar Inglês.”

Uau, a gratidão bateu e eu me senti de uma forma que eu nunca tinha sentido antes.

Pela primeira vez em muito tempo, senti gratidão por minhas pernas, para o fato de que estou apto e saudável o suficiente para andar!

É sempre importante para mim honrar como me sinto, o que significa que se eu estou me sentindo cansado ou desmotivado, está tudo bem.

4. Trocar o punidor para a líder de torcida.

Talvez a maior mudança que eu fiz é mudar a minha voz interna de um punidor para uma líder de torcida.

Como muitas pessoas, eu estava sendo dolorosamente rigoroso comigo e excessivamente crítico. Quando me sinto fraco eu me julgo pelo sentimento.

A autocompaixão estava no coração, mas não colocava em prática. Por isso, tentei começar falar para mim mesmo com um tom mais suave, mais solidário. Menos ditador e mais apoio. Ao longo de práticas, comecei a responder ao fracasso com palavras de encorajamento. Quando me sinto fraco, eu me ofereço compreensão e empatia. Se eu acabar de batendo na vida, eu me perdoo e sigo em frente.

Eu li em algum lugar que tão importante quanto o que dizemos a nós mesmos dentro de nossas cabeças é como nós falamos para nós mesmos, o tom de voz que usamos. O autor encorajou-me a imaginar o mais compreensivo, compassivo e voz gentil que se possa imaginar e falar para mim mesmo nesta voz.

“Você ficou se criticando por anos e não funcionou. Tente aprovação de si mesmo e veja o que acontece.” -Louise Hay

Eu tenho me surpreendido com o que aconteceu. Desde a aprovação de mim mesmo, eu dependo menos da aprovação dos outros, o que foi libertador. Eu comecei a viver exatamente como eu quero viver!

Parte de mim sabe que eu descobri que nossas palavras criam o nosso mundo exatamente no momento certo.

Não importa que idade temos ou onde estamos em nossa jornada, creio eu que nunca é tarde demais para mudar as nossas palavras e mudar nosso mundo.

Depois de ler o artigo: Mude as suas palavras e mude sua vida! as coisas vão mudar, mas você precisa mudar!

Tradução Livre. Postado em Tiny Buddha.

Se você precisar desabafar, saiba que no Eyhe existem pessoas que querem te ouvir e acolher! É só clicar AQUI e ter uma ótima conversa <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Continue Conectado

Podcast Autoconsciente

(Parceiro Eyhe) Episódio 65