Você pode curar tudo com muito amor!

Uma mulher sentindo o amor.

Muitas vezes vivemos dificuldades que desafiam nossa resiliência, mas o amor pode nos curar! Você pode curar tudo com muito amor! Leia:

“Quando as pessoas abrem seus corações, elas ficam melhores.” – Haruki Murakami

O que você faz quando não pode mais fazer isso? Quando a dor é demais? O desânimo é demais? Quando esperar e tentar é demais?

Você foi corajoso. Você tem sido persistente. É que você está se sentindo quebrado a partir da tentativa.

É assim que eu me senti quando meu marido morreu de câncer de estômago. Havia duas realizações de cura que mudaram não só o caminho que eu andava, mas como eu me sentia. Eu acho que elas podem ajudar você também.

Nos dez meses entre o diagnóstico do meu marido e de sua morte, eu fui impulsionada pelo desespero.

Eu só dormia cinco horas por noite. O resto do tempo eu ficava cuidando dele ou pesquisando sua condição. 

Ele só podia comer algumas mordidas de comida de cada vez. Ao observá-lo definhar, eu cozinhei até cinco refeições frescas por dia, tentando criar algo que pudesse convencê-lo a comer.

Enquanto isso, eu perdi trinta libras. Meu caminho era insustentável. Eu sabia disso, mas eu não me importei. No fundo, eu não queria continuar sem ele.

No final, eu passei mais de um mês ao seu lado no hospital, dia e noite. Eu deixei meu trabalho e as crianças para cuidar dele. Ele era o meu mundo inteiro. Em seguida, ele morreu. Naquele lugar pequeno, escuro, eu tinha que decidir se eu iria morrer também.

Realização # 1: Não é sobre você.

Pode parecer que a realização não seria útil para alguém que não foi sequer comer ou dormir. E como você deve viver sua vida se não é sobre você, afinal?

Mas a verdade é que eu estava me negligenciando cada dia, pois eu estava focada na minha própria dor. Mudar o meu foco, foi o que fez aliviar o sofrimento. 

Eu não faço a mudança por razões filosóficas, no entanto. Eu fiz a mudança porque eu vi o quanto a minha dor estava machucando meus filhos.

A minha filha saiu para comer torta em uma ocasião especial com seus amigos. Ela trouxe seu pedaço para mim, porque ela disse que eu precisava de calorias. No dia do aniversário dela, ela trouxe para casa uma caixa de isopor contendo toda a refeição, pela mesma razão.

Meu coração começou a quebrar a partir dessas ações pequenas, mas que significavam poderosos sacrifícios. Com isso, eu percebi o quanto eu realmente tinha deixado.

Eu tinha pensado que minha capacidade de amar, de cuidar tinha sido ultrapassada. Mas isso não aconteceu.

A maioria de nós tem o instinto de encerrar em resposta à dor. Acreditamos que se cortando para fora do resto da humanidade pode curar nossas peças quebradas. A verdade é exatamente o oposto.

O amor cura.

Encontre o amor que cura!

Viktor Frankl perdeu toda a sua família no Holocausto. Durante sua prisão em vários campos de concentração, Frankl ficou fascinado com as diferenças na forma de como as pessoas reagiram às atrocidades. Tudo sobre os campos foi projetado para desumanizar os prisioneiros. Para derrubá-los e para despir sua coragem, esperança e identidade. Na maioria das vezes, ele trabalhou. Muitas pessoas desistiram. Frankl descreve que seus companheiros de acampamento não morreram apenas de fome e doença, mas de tristeza e desânimo.

Às vezes, a fim de sobreviver fisicamente, prisioneiros deixaram a parte de seu espírito morrer. Assim, a experiência transformou aquele alguém em frio e indiferente.

Mas houve exceções.

Havia pessoas que se tornaram mais bondosas, nobres e belas através da experiência. A diferença, Frankl concluiu, era que essas pessoas estavam vivendo por algo maior que eles mesmos.

Eles foram sustentados pelo amor da família, a fé em Deus ou o compromisso com a ciência ou arte. De acordo com Frankl, “Aqueles que têm um ‘porquê’ de viver, podem suportar quase todo o “como”. 

A cura vem de ter uma razão para manter seu coração aberto à dor. Porque quando você faz, você automaticamente mantém ele aberto para a alegria também.

O que você ama mais do que você mesmo?

Quando você não encontra o amor

Talvez você não sabe agora o que você ama o suficiente para motivá-lo. Talvez o problema é que você perdeu alguém ou algo que você realmente amou. Ou talvez você se sente exausto da maneira que você está vivendo o amor. Entendi.

Podemos nos sentir tão desanimados e tão cansados que o pensamento de amar é impossível. 

E sabe de uma coisa? Tudo bem. Não há problema em estar com esses sentimentos.   Mas a verdade? Quando estiver pronto, escolha o amor! Ele vai te ajudar mais do que qualquer outra coisa.

O amor nos leva a fazer coisas difíceis.

É o amor que alimenta os pais que ficam acordados na madrugada com um bebê chorando de cólica. É ele ajuda os amigos feridos se reconciliarem. E é ele também, que faz com que essas relações não acabem pelos os altos e baixos do caminho.

E é o amor que pode nos dar a coragem para ir embora quando a situação pede por isso.

O amor nos leva a fazer esses sacrifícios, mas depois, se tornam as escolhas mais significativas de nossas vidas.

É o amor que nos enche, quando sentimos o nosso maior vazio.

Portanto, seja corajoso. Deixe-se amar. Amar um animal. Ame a planta de casa em sua mesa de cozinha. A natureza que você encontra em uma caminhada tranquila. Ame as pessoas ao seu redor.

O amor cresce.

Eu voltei para o meu trabalho depois de algumas semanas que o meu marido havia falecido. Foi difícil. Nós trabalhávamos na mesma faculdade, para fora do mesmo edifício, por uma década. Memórias estavam por toda parte. E, por eu ensinar psicologia, havia muitos tópicos de discussão que foram desencadeantes para mim.

Eu fiz isso porque meus filhos precisavam de mim para puxá-lo juntos. Para eles.

Ao longo do tempo, eu percebi que também estava fazendo isso por mim. A sala de aula tornou-se meu lugar feliz. Eu me sentia melhor quando estava com a mente focada em meus alunos.

Minha própria dor ainda estava lá, é claro. Eu chorei na classe mais de uma vez. Mas, quando eu chorei, meus alunos choraram comigo. Eles me agradeceram por ser corajosa e aberta. Me ofereceram o mesmo amor e incentivo que eu estava tentando dar-lhes.

Isso porque o amor cresce. Essa é a mágica dele. Mesmo quando você pode pensar que não tem muito a oferecer, aquilo se torna o suficiente e de sobra. 

Quando é oferecido livremente, o amor expande dentro de nós e à nossa volta.

Agora que você chegou neste ponto, você acredita que está muito desanimado para oferecer amor?  

Realização # 2: Às vezes ele tem que ser sobre você.

Quando você cair na real sobre fazer o impossível? Você vai ter que aceitar que isso vai levar todos vocês! 

Vai levá-lo totalmente. Possui o seu próprio poder. Sendo assumidamente si mesmo.

Vai levá-lo tornando-se o herói de sua própria história.

Então, o que você estava segurando?

Isso é amor?

O que é amar-se? 

Quando eu estava no meu ponto mais baixo, meus filhos apontaram as maneiras que eu não estava tomando conta de mim. Por não querer que eles seguissem o meu exemplo, eu escutei. 

Eu finalmente fui atrás de tratamento médico para um problema nas costas que estava me incomodando há anos. Comecei a comprar pequenas coisas que eu gostava. Planejei atividades que não eram realmente necessárias, mas que eu queria fazer. Se você não souber quais atividades fazer, pressione aqui e leia um texto do Blog Eyhe que trata sobre várias práticas que irão te ajudar a cuidar de si mesmo!

No meu mundo, eu estava oferecendo apenas um pouco mais de tempo, energia ou dinheiro para outra pessoa.

Não é à toa que eu senti que não poderia continuar. Eu tinha razão.

O primeiro passo foi me alimentar com a mesma atenção tangível que eu daria para alguém que eu amava.

Mas amar a si mesmo significa muito mais do que um novo corte de cabelo e um banho de espuma.

Qual é a sensação de amar-se? 

Amar a si mesmo significa mostrar-se em sua própria vida.

É dar-se o melhor que você tem a oferecer e confiar que é suficiente.

Estar disposto a tentar algo novo e continuar tentando.

É acreditar que você pode criar algo bonito, mesmo quando tudo o que você está sentindo é a dor.

Isso significa respeitar seus próprios limites.

Amar a si mesmo significa estar disposto a fazer as coisas difíceis que irão ajudá-lo no final.

Isso significa que quando você começar a sentir pena de si mesmo, você para. Aos poucos, você começará determinar o significado de tudo isso e decidir como você deseja avançar.

Tudo isso significa que quando é hora, você vai deixar de apenas sonhar e vai alimentar as ações reais.  

Escolha a vida! 

Quando seu espírito for esmagado, quando você não tiver mais palavras para a dor, lembre-se: O amor cura nossos lugares quebrados.

Amar os outros. Amar a si mesmo. É o mesmo fluxo que cura tudo o que se conecta.

Há dor, mas é a cura da dor. A tristeza sentida abre espaço para alegria.

Gentilmente, ofereça amor como o sol e sinta o seu espírito crescer em direção ao calor.

Tradução Livre. Postado em Tiny Buddha.

Se você tiver precisando desabafar com alguém, saiba que no Eyhe você encontra pessoas que já superaram vários desafios e hoje estão prontas para te ouvir e acolher! É só clicar AQUI!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Continue Conectado

Podcast Autoconsciente

(Parceiro Eyhe) Episódio 65