O que nós ganhamos quando perdemos?

Uma mulher refletindo sobre a sua vida.

Alguns momentos de rejeições acontecem para nos tirar da zona de conforto e arriscar algo novo! Leia e saiba: O que ganhamos quando perdemos?

Rejeição dói. 

Podemos nos perguntar, o que tem de errado comigo? No entanto, a rejeição também tem uma maneira de ensinar-nos, nós redirecionando e finalmente, tornar a nossa vida melhor!

Eu aprendi a olhar para a rejeição de forma diferente nesses últimos anos. Na verdade, as minhas melhores versões forma em  tempos que eu percebi rejeição. Sim, existem muitas experiências dolorosas, mas, novamente, eu sempre tento ver o aprendizado. 

Quando eu era jovem, eu enfrentava a rejeição diária. Eu era uma adolescente com sobrepeso com paixões por qualquer rapaz que olhava para mim. Outras crianças constantemente tiravam sarro de mim e nenhum menino se atreveu a me mostrar qualquer interesse. Eu fui intimidada e rejeitada simplesmente por ser eu.

Eu experimentei a rejeição em torno de relacionamentos durante o meu crescimento. Houve um período em que eu estava com tanto medo da rejeição que eu me agarrei em amizades e relacionamentos que eu intuitivamente sabia que não eram saudáveis ​​para mim.

Sem surpresa, essas relações morreram. Após esse acontecimento eu realmente acreditei que eu sempre seria rejeitado. Foi neste momento em que o sentimento de solidão me afundou, mesmo cercada de pessoas, eu me sentia sozinha.

O que nós ganhamos quando perdemos: Quando tudo mudou!

Finalmente, em um lindo dia, a lâmpada acendeu. Estas coisas estavam acontecendo por uma razão, estava tudo programado! 

Eu comecei a mudar a visão que tinha da rejeição. Eu comecei a vê-la como uma habilidade para reavaliar e tornar-se mais familiarizado com diferentes partes de mim. Em algumas situações, eu era capaz de ver que talvez eu não estava no caminho certo. 

Minha perspectiva tornou-se mais clara. Todos os trabalhos que não deram certo era porque eu merecia melhores oportunidades. Todo relacionamento que me machucou, me levou para o meu verdadeiro amor. Cada erro que eu cometi me levaram a olhar para dentro. 

Eu era capaz de aprender, crescer e finalmente fazer alterações. Eu comecei a  agradecer a todas as pessoas, lugares e coisas que me rejeitaram. 

Mas, deixe-me avisá-lo, essa epifania não aconteceu durante a noite. Lentamente, comecei a mudar a minha percepção e minhas crenças. Eu comecei a olhar para as situações de forma diferente. 

Eu sei, soa mais fácil dizer do que fazer, mas existem algumas ferramentas que podem ajudar: O que nós ganhamos quando perdemos?

1. Autocompaixão.

Se eu acredito que eu mereço coisas ruins, eu vou começar a atrair coisas que validam essa crença. O que sentimos no interior, manifesta-se do lado de fora.

Precisamos trabalhar em responder ao nosso crítico interno com bondade e compaixão. Uma maneira útil de fazer isso é se comunicar com você mesmo como você se comunica com um amigo querido.

Quando os meus amigos passaram por rompimentos terríveis, eu sempre dei o meu melhor para lembrá-los que eles são dignos de amor. Ajudei cada um a encontrar a lição naquela situação que estavam vivendo.

2. Veja a rejeição como uma oportunidade de sair da zona de conforto.

Se nós não experimentarmos a rejeição, provavelmente não vamo correr atrás de muitas mudanças.

Eu trabalhei duro para obter uma licença profissional e eu ganhei um não, por existir  uma história que me envolvia. Na época, isso me quebrou. Eu me senti tão envergonhado e com medo. No entanto, isso me fez ver a oportunidade de me auto desafiar e ser honesto comigo mesmo.

Essa rejeição me levou para uma vida de recuperação, que constantemente me fazia sair da minha zona de conforto.

3. Não deixe que a rejeição defina o que você é.

Este é um fracasso, portanto, eu sou o fracasso. É importante separar o que aconteceu com a gente de quem somos.

Rejeição não é sempre pessoal. Muitas vezes, quando alguém nos rejeita, não tem nada a ver com falhas de nossa parte. Apenas significa que não era um bom ajuste para essa pessoa, emprego ou oportunidade.

Eu trabalhei para estar consciente de meus pensamentos. Eu aprendi que o fracasso era um evento, mas não era eu. 

4. Encontre a lição na rejeição.

Poderíamos facilmente se concentrar no que perdemos quando nós experimentamos a rejeição, mas é mais útil para nos perguntar: “O que eu ganho?” Desta forma, podemos aprender com a experiência. Com cada experiência, podemos crescer mais forte.

Pessoalmente, eu aprendi a olhar para dentro e identificar o que eu preciso para trabalhar. Comecei a ver que eu sou mais capaz de lidar com a perda do que eu acreditava. 

Aos vinte e cinco anos de idade, eu era divorciada do meu primeiro casamento, fiquei vivendo o pesar e a vergonha. Eu encontrei-me isolando os outros e ficando sozinha. Eu perdi um relacionamento, uma casa, amizades e previsibilidade. Mas, em retrospectiva, ganhei muito mais.

Comecei a ver que eu estava dependente da relação. Eu estava estagnada e não estava mais evoluindo como pessoa. Lentamente, mas com certeza, eu comecei a aprender a depender verdadeiramente de mim mesmo.

Ganhei sabedoria sobre limites saudáveis ​​em um relacionamento. Eu, então, aprendi a valorizar amizades verdadeiras. 

Mais importante ainda, ganhei um relacionamento comigo mesmo. Aprendi a amar a mulher que eu sou incondicionalmente. 

Nossos pensamentos têm um forte impacto sobre nossas emoções. Nossas emoções, por sua vez, tem um forte impacto sobre nossas decisões e comportamentos. 

Agora que você já leu o artigo: O que nós ganhamos quando perdemos? a sua vida mudará!

Tradução Livre. Postado em Tiny Buddha.

Se o sentimento continuar te atormentando, saiba que no Eyhe você encontra pessoas que já superaram vários desafios e hoje podem te ajudar a superar o seu. É só clicar AQUI!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Continue Conectado

Podcast Autoconsciente

(Parceiro Eyhe) Episódio 65